segunda-feira , 22 setembro 2014
Novidades

O Mundo na Redoma com Bruno Cathala

O Redomanet conversou com Bruno Cathala, francês, nascido em 1963 e designer de jogos como Shadows Over Camelot, Cyclades e Mr. Jack.

Alguns jogos com a criação e participação no desenvolvimento de Bruno Cathala: Boomtown, Cleopatra and the Society of Architects, Cyclades e expansões, Dice Town e expansões, Jamaica, Mission: Red Planet, Mr. Jack e expansões, Mundus Novus, Queen’s Necklace, Senji, Shadows Over Camelot e expansões, Sobek, Wicked Witches Way entre outros.

 

Redomanet: Bruno, onde você mora atualmente?

Bruno Cathala: Eu vivo na França, nos Alpes franceses, perto de Mont Blanc ( a mais alta montanha europeia) e Genebra (Suíça).

R: Quando e como conheceu os jogos de tabuleiros clássicos e modernos?

BC: Quando eu tinha 18 anos, eu descobri uma revista francesa dedicada a jogos (Jeux et Stratégie). Desta forma, eu descobri que havia uma vida após Monopoly, Clue, e Master Mind!

Eu comprei o meu primeiro “tabuleiro moderno” seguindo o conselho desta revista e foi uma revelação!

 

R: Você prefere tema ou mecânica?

BC: Ambos! Eu gosto de mecanismos brilhantes. .. Mas eu acho que eles não são nada se não estão dedicados a contar uma história. A única exceção, com certeza, são os jogos abstratos. Os mecanismos apenas são… simples… e brilhantes, dando profundidade ao jogo.

R: Você gosta de jogos cooperativos? Por quê?

BC: Bem, jogos cooperativos puros não são a minha “xícara de chá”. Só porque, na maioria das vezes, um jogador toma a liderança da mesa, e passa a jogar sozinho. Eu prefiro competição, mas de vez em quando, eu posso gostar de participar de um jogo cooperativo. É provavelmente esta a razão de que quando Serge Laget me fez a proposta de trabalho em um jogo cooperativo baseado nos Cavaleiros da Távola Redonda, imediatamente eu disse “OK… mas com a possibilidade de um traidor!”.

 

R: Em média, quanto tempo você leva para desenvolver um jogo? Quais são suas etapas de criação?

BC: Quanto quanto tempo leva… é realmente difícil de dizer. Pode ir de alguns minutos (Mow por exemplo) para muitos anos (Cyclades).

As etapas de criação são sempre as mesmas:

> Ter uma ideia

> Desenvolvê-la e criando um primeiro protótipo

> Testar

> Modificar para melhorar a experiência de jogo

E ir desenvolvendo – testando – modificando até chegar exatamente a um bom equilíbrio.

Então… o trabalho não está terminado. Você ainda precisa escrever as regras. E o mais importante… você precisa ir para uma editora, para convencer um editor para continuar com seu projeto .. e isto não é a parte mais simples do trabalho!

Pensando muito em Cleopatra and the Society of Architects

R: Mr. Jack junta um tema interessante com uma mecânica original. Você conseguiu utilizar um tema nem sempre agradável num jogo divertido e familiar. Quais foram as ideias conceituais para criar o Mr. Jack?

BC: A ideia inicial vem de Ludovic Maublanc: era muito tarde em um evento de jogos, e me propôs a trabalhar com ele em um novo jogo. Ele só tinha essa ideia: “Luz e Escuridão”… e nada mais. A ideia era criar um jogo em que algumas coisas seriam possíveis no escuro, mas não para a luz. Então, começamos imediatamente a debater sobre qual história poderia encaixar com esta ideia. Primeiramente nós pensamos em vampiros. Mas preferimos a ideia de um criminoso tentando escapar da polícia, e testemunhas. Nós imediatamente pensamos em Jack, o estripador, porque ainda é um mistério para nossos dias…

Protótipo de Mr. Jack

 

R: Os jogadores sempre acham que o criador do jogo tem todo o poder de decisão sobre como será a versão final do jogo produzido. Você acompanha a criação da arte dos jogos? Quem toma a decisão sobre imagens, miniaturas e arte do tabuleiro?

BC: Todas as decisões relativas à produção artística jogo (escolha da arte, etc) pertencem à editora. Os criadores de jogos só são consultados, mas o editor tem sempre a palavra final.

 

R: Cyclades e Shadows Over Camelot são dois de meus jogos preferidos. Qual o futuro da série destes jogos? Teremos mais expansões?

BC: Shadows Over Camelot acaba de publicar uma versão “pequena” deste jogo, com apenas cartas. O sistema de jogo é realmente diferente, mas o sentimento e as interações entre jogadores é muito próximo do original. É mais rápido para explicar, mais rápido para jogar (20 minutos) e eu gosto muito! Nada mais é planejado depois disso… veremos…

 

Quanto à Cyclades, temos um monte de projetos: uma nova expansão com novo mapa, um sexto jogador, possibilidade de jogar em equipe, mas nós temos que trabalhar… estas ideias estão somente em nossas cabeças no momento! E talvez um jogo de cartas… veremos!

R: Você participa do desenvolvimento dos jogos online de suas criações?

BC: Sim… Eu realmente estou interessado na parte de desenvolvimento destes jogos.

 

R: Quais são seus próximos projetos?

BC: Nos meses seguintes, muitos novos jogos virão:

– Sheepzzz é um jogo de cartas pequeno a ser publicado pela Hurrican, na mesma linha que “MOW”.

– 2 jogos serão publicados pela “Ludonautes”, um desenvolvido junto com Antoine Bauza, e o outro, um cooperativo, desenhado junto com Ludovic Maublanc.

E algumas outras coisas, mas é muito cedo para falar sobre eles.

R: Cite alguns de seus jogos preferidos.

BC: Magic the gathering !!!! E Gyges, Hanafuda, 7 Wonders e Mare Nostrum.

R: Quantos jogos você possui em sua coleção de jogos de tabuleiro?

BC: Eu acho… provavelmente 100 (mas 50 deles são de minha própria criação! Rs).

 

R: Você possui um grupo de jogo? Qual a frequência de suas jogatinas?

BC: Com jogadores apaixonados da minha área, encontramos toda sexta-feira à noite em um pub. Primeiro, comemos (e bebemos!) juntos, e então vamos jogar meus protótipos e “jogos de verdade”.

R: Como é a cena de jogos de tabuleiro na França e na Suíça?

BC: Podemos notar um desenvolvimento real dos eventos do jogo, organizado por voluntários em cidades pequenas. Interessante porque ajuda a partilhar a nossa paixão com todos.

 

R: Como você analisa o mercado atual de Jogos de Tabuleiro e Jogos de Cartas no cenário mundial? Há muitas diferenças comerciais entre o mercado norte-americano e o mercado europeu?

BC: Eu não sou realmente competente para responder a esta pergunta. Você deve perguntar a um editor (rs)!

R: Bruno, por favor, deixe um recado para os fãs brasileiros.

BC: Olá! Só quero dizer Olá para todos os jogadores brasileiros. E espero que um dia eu tenha a oportunidade de visitar seu país e compartilhar alguns momentos com vocês durante uma convenção de jogos brasileiros!

 

Bruno, muito obrigado pela entrevista!

 

 

Veja também outras Entrevistas:

7 comentários

  1. Boa entrevista, adoro Mr. Jack e Mr. Jack NY. Vou conhecer os outros agora….

  2. Bela entrevista,não joguei nenhum jogo dele ainda acreditam?

    Parabéns a redomanet por mais esta super entrevista

  3. Ótima entrevista! Parabéns ao Redoma!

    Um adendo:

    O Cyclades vai ter nova expansão com o sexto jogador que deve ser lançada na Essen no próximo ano. Ainda está nas fases preliminares de criação, mas quem confirmou foi o próprio autor.

  4. Cyclades jogo de cartas! (evil face)
    hauauhaua deixa pra lá…

    bem legal esta série de entrevistas com caras famosos (já os batepapos vcs chamam cada um.. heheh!!!) mas ele escreveu muito pouco! rsrs

    mas o redoma esta de parabéns!

  5. Novo Mapa, 6 Jogadores e possibilidade de jogar em grupos??? Ai vira top 3 !! rsrs

  6. Esqueci de comentar, Sammet, mas se falou em grupos também. Perguntei sobre a opção de times para evitar o “esmague o líder” e ele disse estar pensando nisso.

    Veremos o que vai sair desse troço.

  7. Acho q essa opcao de em grupos ja podemos ir testando algumas regras caseiras certo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top